Cobertura Tchêlinux 2008 (Pelotas)

Bem primeira cobertura do blog em um evento de Linux (tirando a foto do Mad Dog com um de nossos colegas). A abertura do evento foi tranqüila, foi toda aquela ideologia do GPL, Free Software X empresas malignas que não deixam os infelizes usuários da informática usarem seus sistemas por uma contribuição simbólica. Até para mostrar isto foi usada uma imagem do CD de instalação do Windows Mobile embaixo de um do Ubuntu. No qual o cd do Windows Mobile vinha escrito algo como: Não emprestar, copiar e etc.. Logo após o Leonardo M. Vaz, fez uma analogia de uma imagem que o Carl Sagan usou para fazer uma reflexão sobre nós como seres humanos e o conhecimento da humanidade. A imagem era a fotografia da Voyager 1 tirando uma foto da Terra a 6.4 bilhões de Km de nós. O que realmente é impressionante sermos tão minúsculos perto do universo. Very cool! No decorrer da palestra de abertura do evento vejo uma figura estranha no recinto.

Stallman Indi

Stallman Indi - A.K.A Jambrão

Não entendo se era idéia do cara, mas para mim ele era a cópia indiana do Stallman. LOL.
Passada abertura do evento permanecemos na sala para esperar a próxima palestra que seria: Firewall Descomplicado com Debian. Nesta o palestrante estava explicando como utilizar um frontend para o IPTables chamado Shorewall. Aparentemente tal programa facilita muito a vida do administrador. Principalmente porque não é necessário cuidar a ordem das políticas de segurança em que as regras são adicionadas. Pois qualquer linha adicionada a mais e na ordem errada no IPTables realmente é um inferno de debugar. Bem esta prestando atenção na palestra até que uma pessoa da platéia indaga o palestrante sobre uma regra que ele construiu no tal miraculoso software, tal regra iria travar todas as conexões para a rede que o palestrante hipoteticamente estava protegendo só uma parte (PWNED 1). Tudo bem todo mundo erra. Mas seria interessante testar primeiro o material para ser mostrado, ainda mais em um ambiente em que pode-se ter certeza que uma parte da platéia sabe o que faz e vai nos eventos de Linux para mostrar força da comunidade. Bem as regras foram corrigidas e ninguém mais falou. No final da palestra de firewall eu perguntei ao palestrante se existe alguma ferramenta como essa para verificar dados logo na camada de Enlace. Qual foi a resposta que eu obtive: Enlace? Não sei! (PWNED 2) Poxa como um administrador de rede que vai dar palestra de firewall não conhece as camadas OSI!? Shame on you!

Bem após o término da palestra foram encerrados os eventos da manhã. A tarde iríamos assistir programação com sockets em C, porém nos atrasamos no hotel e almoço então chegamos na UCPel na metade da palestra. Então eu entrei na palestra sobre o GIMP. Bem para surpresa o palestrante usava um macbook e usava mac os, não agüentava mais ver o marrom diarréia do ubuntu presente em todos os computadores. Voltando ao GIMP, descobri que ele é lixo mesmo e que ainda não existe solução melhor que o Photoshop. A palestra foi diferente, nesta o palestrante fazia uso do GIMP para modificar uma imagem em “tempo real”, seria algo como um screencast ao vivo. Sinceramente eu achei tudo igual ao concorrente com um grau de dificuldade maior para fazer a atividade desejada. Além disso, o GIMP só trabalha com 8 bits de cores (até hoje). Quando o palestrante foi indagado sobre como modificar uma imagem combinando camadas para formar uma nova, ele falou que nem no Photoshop não tinha como, mas tem! (PWNED 3). De acordo com o Rafael (palestrante) a pergunta era sobre o serrilhado e ou borrado das bordas da imagem (aka anti-aliasing). Só no braço para fazer isso. Terminada a palestra do GIMP, fiquei na mesma sala para assistir uma palestra sobre criptografia e SSL. Melhor palestra da tarde, o professor da UCPel que deu a palestra sabia muito bem do que falava e demonstrou diversos meios de encriptação. Só aconteceu um detalhe. Não conseguiu chegar ao SSL em si, faltou tempo. Uma pena.
Por último como não poderia deixar de ver uma palestra sobre Java e desemvolvimento de aplicações open source. Bem a palestra foi tranqüila, cumpriu o que o título dela dava a entender. Porém eu gostaria de ter visto algo novo sobre Java. Até mesmo boas práticas de programação em Java, Design patterns e coisas do gênero. Enfim coisas que
Avaliação final: Evento legalzinho, mas não valia 600 km (ida e volta) de deslocamento. A idéia do tchelinux é muito legal não cobrar nada e fazer doação dos alimentos que recebem como entrada. Meio aquela coisa de compartilhar as coisas da maneira mais GNU/GPL, socialista de ser. A organização estava boa, mas o nível dos palestrantes deveria ser maior, ou as palestras melhor organizadas.
Observação: Pelotas aqui no Rio Grande do Sul é dita como a cidade de viado (a grosso modo, sem preconceito nem nada). Chegando lá descobrimos que teria uma parada gay! WTF!! Eu achava que era exagero!

Anúncios

7 Comments

  1. Stallman Indi
    Posted 26, agosto 2008 at 0:01 | Permalink

    Não, nunca foi essa a intenção.

  2. Posted 26, agosto 2008 at 0:12 | Permalink

    Oi Bruno,

    Interessante o teu review sobre o evento. Toda crítica é construtiva e como disse no começo do evento, o Tchelinux é trabalho em andamento e temos muito que melhorar.

    Com relação à qualidade das palestras, de repente tu possas ajudar. É possível que a gente vá à Santa Maria ainda este ano para um evento na UNIFRA, e quem sabe tu podes apresentar uma palestra. De repente ajudando tu possas agregar mais.

    Abraço,

    Leonardo Vaz

    Ps.: O “Stallman Indiano” da foto se chama Jambrão.

  3. Posted 26, agosto 2008 at 8:26 | Permalink

    “Quando o palestrante foi indagado sobre como modificar uma imagem combinando camadas para formar uma nova, ele falou que nem no Photoshop não tinha como, mas tem!”

    Bom, jamais falaria isso, principalmente porque o primeiro programa de edição de imagens que eu usei que tinha camadas foi o Photoshop.

    A pergunta era sobre se usando camadas ficaria possível uma seleção mais precisa nas bordas quando estão meio “borradas” (ou algo nesse sentido). E esse tipo de seleção nenhum programa faz, é preciso fazer “a mão”, com habilidade (que eu não tenho) e paciência (muito menos).

  4. Posted 26, agosto 2008 at 10:58 | Permalink

    E a pergunta que fica no ar… chegaram no blog por “boca a boca” ou o google já indexou na hora?!

    Leonardo Vaz, assim que terminar meu TFG terei um imenso prazer em dar uma palestra sobre acessibilidade de websites para cegos. 🙂 Obrigado por comentar!

    PS: Adicionado nome do nosso representante do Stallman aqui no sul.

  5. Posted 26, agosto 2008 at 11:56 | Permalink

    Rafael após a pergunta da menina sobre este tipo de ajuste (das bordas) ela perguntou algo com ajuste das camadas, daí me lembrei na hora do auto-align layers, ele pega pontos em comum das duas camadas e arruma a angulação das mesmas para compor uma foto. Seria mais ou menos como o Microsoft Photosynth (não gerando um ambiente tridimensional). Bom então troquei as bolas. Post editado.
    Realmente o tipo de ajuste para o borrado (pergunta inicial da garota) eu faço com a seleção manual da camada duplicada usando a polygonal tool do photoshop e feather para dar um anti-aliasing. Ou se for muito mais complexa só usando uma tablet com o extract (nos filtros). Aprofundando teu problema com imagens em lote… uma coisa que gostaria que tivesse no linux seria uma alternativa similar ao Aperture ou Adobe Photoshop Lightroom.

    Acho que para isso momentaneamente, para ajustes simples seria possível usando um script em qualquer linguagem utilizando o ImageMagik. Isto para linux, no Mac OS eu não sei programar scripts, sei que existe Xterm, então alguma coisa deve rodar.

  6. Elgio
    Posted 26, agosto 2008 at 12:06 | Permalink

    Oi Bruno.

    Só para esclarecer, sou professor da Ulbra Gravatai e não da UCPEL. Fui a Pelotas no sábado para apresentar a palestra sobre cripto. Resido em Canoas.

    Ainda, fiquei mesmo chateado em ter que cortar a palestra por falta de tempo. Mas a culpa é minha: sabia que tinha 1h!! Devia ter ido mais rápido na introdução (ou não?).

    Fazer uma palestra para um público desconhecido e heterogêneo é muito complicado!! Falava de camadas do modelo OSI e TCP mas vi nos olhos de muitos que isto lhes soara estranho!! Não sei, acho que irei classificar esta palestra como “Avançada” na próxima vez, trocar o nome e remover aquela Introdução podendo entrar mais fundo no que interessa… O que achas?

    Quanto a nós, do TchêLinux, estarmos aqui neste post, isto é normal. Neste trabalho voluntário, pelo “vestir da camiseta”, mais do que nunca procuramos em todos os cantos algum tipo de feed back que nos oriente em termos de “está bom”, “está ruim”, “pode melhorar”. Como as avaliações escritas são suscintas e genéricas, achar blogs como este é de grande valia.

    Abraços

  7. Posted 26, agosto 2008 at 12:26 | Permalink

    Elgio gostei muito da sua palestra, essas coisas de criptografia matam a pau. E concordo que esta deve ser tratada como avançada pois além das camadas OSI, o pessoal tem que ter passado já pelas matérias de cáculo da nossa área. E aumentar o tempo da palestra seria ótimo! Espero ver esta palestra completa se tu vieres para SM.

    Agora falando em geral, eventos Linux deve se ter em mente (pelo menos aos meus olhos) que o público não é super novato. Aliás novatos não usam linux, se forem ver nós somos 1% no mundo todo. Dividindo mercado com os Macs (+-6%) e o resto é Windows. Eventos sobre Linux o público já é do médio pro avançado. Então é de se esperar um pouquinho mais dos eventos. Espero não ter deixado alguém triste com o post.
    Grande abraço ao pessoal do Tchelinux.


One Trackback/Pingback

  1. […] veja a cobertura do tchelinux pelotas aqui. […]

Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: